Mulher Maravilha, Caipora e a ficção folclórica

Publicado por em 06 jan 21. Dicas, Folclore, Textos
Tempo estimado para leitura: 4 minutos

Talvez não tenha entendido a relação entre a Mulher Maravilha, a Caipora e a ficção folclórica brasileira. O fato é que, em janeiro de 2021 esse gênero deu um passo significativo dentro da cultura pop.

Ontem, 05 de janeiro, foi lançada nos EUA, a primeira HQ de “Future State: Wonder Woman”, que traz como Mulher Maravilha a brasileira Yara Flor. E da para dizer de boca cheia: que estreia!

Isso porque a história apresenta uma mistura maravilhosa das mitologias grega e brasileira.

Na primeira de suas duas edições de introdução no Universo DC, Yara Flor, filha de uma guerreira Amazona com um “Deus Brasileiro dos Rios”, mencionou Tupã e Zeus governando, cada um de seu trono, lutou uma hidra e fez amizade com a Caipora, a Guardiã das Florestas.

E tudo isso aconteceu apenas na primeira parte da história que, de quebra, transformou a nossa Amazona do Amazonas na primeira heroína de origem latina com uma HQ própria.

Muita Mitologia Brasileira

Apesar do arco não ser uma história de origem da personagem, a nova versão da Mulher Maravilha, em 2050, é apresentada combatendo uma hidra em meio a uma floresta brasileira, e, em seguida, nos apresenta uma releitura da Caipora.

Caipora falando para Yara Flor que, indiferentemente de quem é o pai dela, ela não tem permissão para caçar em suas terras.

Caipora é uma entidade da mitologia tupi-guarani. A palavra “caipora” vem do tupi caapora e significa “habitante do mato”.

Nas versões mais comuns da lenda, a personagem é representada como um pequeno índio peludo, ágil e nu. Enquanto que, em Future State: Wonder Woman, ela é uma garotinha carismática e de personalidade forte que decide ajudar Yara em sua missão no submundo.

Essa reimaginação da lenda da Caipora demonstra como a ficção folclórica brasileira tem muito espaço para crescer e aparecer. E isso dentro do universo de um personagem muito importante da cultura pop.

Além da aparição da Caipora, outras entidades do folclore brasileiro como o Boitatá foram citados na edição.

A gente espera ver outros mitos e lendas brasileiras nas próximas edições. Afinal, uma das promessas feitas pela Joëlle Jones (Batman, Mulher-Gato), responsável pelo roteiro e ilustrações da heroína brasileira, foi que a história seria um mergulho na mitologia brasileira.

Yara Flor e Caipora na entrada do submundo

As HQs são só o começo

Além de ser uma parte importante do Future State, Yara já foi anunciada como sendo uma das peças mais importantes para a nova formação da Liga da Justiça.

E, por mais que suas histórias tenham apenas começado a chegar às bancas, a DC e a Warner mostraram ter grandes expectativas para a heroína, isso porque ela já tem uma série live-action confirmada para o CW.

Com tudo isso, nós brasileiros só temos a ganhar. Além curtir todo esse universo que está sendo criado pela DC, temos a certeza de que ele também elevará a ficção folclórica a um novo patamar.

Então, já podemos esperar mais histórias incríveis surgindo e sendo ambientadas na nossa mitologia para fazer companhia a Anicejara e a pedra do trovão

Conheça minhas histórias

Se você se interessou pelo universo fantástico da ficção folclórica, tenho certeza que você vai curtir muito meus livros, para saber mais, acesse esta página

Comente

*
*