Ela e o Sol

Publicado por em 08 ago 19. Prosas e Contos, Textos

Eu me casei com Juliana em um dia 14 de junho. Dia 14 de junho nos casamos na Igreja, no dia 13 havíamos nos casado “no civil”.

Por algum motivo estranho, por muito tempo fantasiamos que tínhamos casado nos dias 12 e 13 de junho. Era até uma versão mais romântica, porque o dia 12 é o Dia dos Namorados e o dia 13 o Dia de Santo Antônio, que é o Santo Casamenteiro.

Mas a verdade é que nos casamos no dia 14 de junho às 17h00, final de outono, quase inverno. Um daqueles dias em que o Sol se põe mais cedo e o dia fica mais curtinho.

Eu estava na frente do altar, esperando ela entrar na Igreja. A porta estava fechada. De verdade, eu não tinha expectativas por este momento em especial. Tinha certeza que ela estaria linda, que marcaria o início da vida que escolhemos para nós.

Mas então a porta se abriu, ela estava linda, radiante. Atrás dela estava o Sol, majestosamente se pondo. Maravilhosamente posicionado atrás dela. Tenho essa imagem gravada na minha mente, como se fosse uma foto.

Às vezes queria saber pintar para poder mostrar para ela o que eu vi naquela hora.

Ela entrou na Igreja. Ela entrou radiante e iluminada. Ela entrou enquanto os raios de Sol também entravam, iluminando e aquecendo a Igreja. Eu não saberia dizer onde terminava o brilho dela e onde começava o brilho do Sol.

Naquele momento, tomei a primeira decisão para nosso casamento. O primeiro propósito da minha vida com ela: eu queria ajudar ela a brilhar todos os dias como ela brilhava naquele momento.

Compartilhe com seus amigos
Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Email this to someone
email
Print this page
Print

Comente

*
*